NOTÍCIAS

29

Março

Prazo para aderir ao eSocial encerra em junho e SINDUSCON CAXIAS esclarecerá dúvidas

Postado em 29 de Março de 2018

Reprodução internet

Clique sobre a imagem para ampliar

Desde janeiro deste ano, o Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial) está valendo para as empresas que apresentam faturamento superior a R$ 78 milhões. Mas será a partir de 1º de julho de 2018 que a nova ferramenta atingirá um número maior de negócios, independentemente do valor de faturamento anual, não sendo mais possível cumprir as obrigações fiscais, trabalhistas e previdenciárias de outra maneira.

Ciente da importância do tema e do pouco prazo que ainda resta para a adesão, o SINDUSCON CAXIAS promoverá o curso ‘Planejando a empresa para 2018: eSocial, Reforma Trabalhista e Terceirização’ no próximo dia 20 de abril, das 8h às 12h e das 13h às 17h, por meio da consultora Maria da Graça Barbosa Nogueira.

A instrutora Maria da Graça é advogada e consultora em serviços de assessoria previdenciária e trabalhista especializada, atuou por 19 anos no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e, posteriormente, na Secretaria da Receita Previdenciária (atualmente Receita Federal do Brasil) e apresentará as alterações promovidas pela Reforma Trabalhista e pela Terceirização, bem como os desafios do eSocial e os impactos nas rotinas da empresa.

O investimento é de R$ 270,00 para associados, R$ 310,00 para contribuintes em dia e R$ 350,00 para não associados.

Para se inscrever no curso clique aqui

Criado pela Receita Federal do Brasil, Ministério do Trabalho, Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e Caixa Econômica Federal, o eSocial pretende facilitar o trabalho das empresas e diminuir a burocracia.

Por meio do Sistema será possível enviar um único documento para todos os órgãos, contidas todas as informações fiscais, previdenciárias e trabalhistas. Sua utilização garantirá benefícios para empresários, funcionários e ao governo já que vai melhorar a gestão, o controle sobre o cadastro dos funcionários, os cálculos trabalhistas serão mais precisos, maior segurança em relação às fraudes, ampliação da transparência dos negócios, facilidade na recuperação de informações, efetividade na garantia dos direitos trabalhistas, entre outros.